Quais são as regras do Minha Casa Minha Vida para adesão ao programa?
3 de abril de 2019
Guia prático: Como escolher um apartamento para morar sozinho
19 de julho de 2019

Guia completo para você mobiliar seu apartamento sem gastar muito

Um imóvel novo é como uma tela em branco, pronta para ser pintada. E assim como a tela, mobiliar um apartamento requer alguns cuidados e muito bom gosto. É preciso avaliar o espaço, escolher as tintas, as formas, o estilo e combinar tudo de modo harmônico — e se for econômico também, melhor ainda.

 

Sem um bom planejamento você poderá até conseguir mobiliar o seu apartamento, porém, certamente não gastará pouco e, muito menos, terá tudo o que você gostaria. E para iniciar esse processo, o primeiro passo é analisar o potencial e as necessidades de cada um dos cômodos do seu novo imóvel.

Antes mesmo de pensar em quais móveis e eletrodomésticos você precisará comprar, é necessário saber o que caberá de fato no apartamento novo. Por isso, comece medindo todos só cômodos, não apenas o comprimento e a largura, mas a medida exata de cada parede, cada vão entre o batente de uma porta ou janela e a parede perpendicular.

E por falar em janelas, elas também precisam ser medidas para que você saiba o tamanho das cortinas ou persianas que precisará comprar. Depois de tudo medido, o próximo passo é analisar a necessidade de reparos ou acabamentos que estão por fazer.

Verifique se há vazamentos, rachaduras, paredes estufadas, entupimentos. Se todas as torneiras estão instaladas e funcionando, teste as válvulas de descarga dos banheiros, veja se as fechaduras e trincos de portas e janelas estão funcionando. Saiba onde estão localizadas as tomadas e interruptores e se são suficientes para cada cômodo.

Por exemplo, na área de serviço há tomadas suficientes para a máquina de lavar e a secadora? E para os aparelhos de ar-condicionado dos quartos? Existe um lugar para ligar o purificador de água na cozinha? Tudo isso precisa ser observado e, de preferência, anotado, ou mesmo, fotografado.

Pode apostar que na hora que você estiver escolhendo seus móveis, eletrodomésticos e objetos de decoração, todas essas informações serão muito úteis. E no caso de haver necessidade de reparos ou instalações, será muito mais simples e seguro os realizar enquanto o imóvel ainda está vazio, sem correr o risco de estragar nada.

Para facilitar o processo, monte um check-list com todos os itens que devem ser analisados. Dê um “ok” nos que estão em condições de uso, e os que não estão, faça anotações ao lado informando o que precisa ser feito. A partir dessa lista, elabore outra contendo quais providências serão tomadas, colocando-as em ordem de prioridade.

Porém, não esqueça que alguns detalhes, como o posicionamento das tomadas, ainda que dependa de decisões futuras. Portanto, só comece a execução dessas ações depois de definir os itens que veremos nos tópicos a seguir.

Quais são os itens que não podem faltar no meu novo apartamento?

Cada um sabe onde o seu calo aperta, não é verdade? Há pessoas que não vivem sem ar-condicionado, outras que não sabem comer fora da mesa, mas, ainda assim, esses não são itens básicos de sobrevivência. Ou seja, elas não o impedem de se mudar para o novo apartamento e podem ser comprados aos poucos com um bom planejamento financeiro.

Por outro lado, existem algumas categorias de itens que são essenciais para se viver com um mínimo de condições de subsistência. É disso que falaremos a seguir. Acompanhe!

1. Eletrodomésticos

Geladeira e fogão ou cooktop são a prioridade, e se a grana estiver mesmo bem curta, vale até comprar usado em bom estado. Sites como o OLXEnjoei e Desapega são ótimos para conseguir pechinchas — até mesmo no Mercado Livre você pode conseguir boas oportunidades.

Depois desses dois itens essenciais, vêm a máquina de lavar, o micro-ondas, o liquidificador, a cafeteira, grill e sanduicheira, que também são bem úteis, porém podem ser considerados secundários de acordo com as suas prioridades. Por exemplo, você também precisará de um ferro de passar, um ventilador, um aparelho de TV, mas é capaz de viver sem eles por uns dias, ou até semanas.

Além desses eletrodomésticos, dependendo dos seus recursos, ainda existem outros que podem trazer ainda mais conforto e praticidade, como uma secadora de roupas, uma fritadeira sem óleo, um mixer, um aspirador de pó etc.

Não se esqueça do chuveiro elétrico caso o seu apartamento não tenha aquecimento a gás. E por falar nele, se o imóvel não tem gás encanado e você optar por um fogão em vez de cooktop, precisará também de um botijão — mas isso é muito difícil, acontece somente em edifícios com um número limitado de andares.

Ah, e tem mais uma coisinha: as lâmpadas. Afinal, você não vai querer ficar no escuro, não é mesmo?

2. Objetos e utensílios

Novamente, pensaremos em ordem de prioridades, começando pela principal delas, a alimentação. Para comer, você precisará, no mínimo, de itens como:

  • panelas;
  • pratos;
  • talheres;
  • copos.

Além desses, existem alguns itens que parecem secundário, mas fazem muito falta, como um abridor de latas, panos de prato, jarra para suco ou água, o próprio filtro ou purificador de água etc.

Mas nem só de comida vive uma pessoa, não é mesmo? Todo mundo precisa dormir e tomar banho, e por isso, não vá se esquecer das roupas de cama, travesseiros, toalhas e até aquele tapete de banheiro para você não pisar direto no chão quando sair do banho, deixando o ambiente todo molhado e ainda correndo o risco de pegar um resfriado.

3. Móveis

De cara, assim que você muda, o mais importante dos móveis é a cama, ou melhor, o colchão. Mas é interessante também, já ter ao menos uma mesa de jantar ou de cozinha com cadeiras ou banquinhos, os armários de cozinha e guarda-roupas — se já não forem embutidos —, um sofá e, quem sabe, uma estante ou painel para a TV.

Como a ideia é gastar pouco, aqui é onde você pode conseguir a maior economia depois dos eletrodomésticos. Além dos sites de classificados que já foram mencionados, nos grandes centros é muito comum encontrar lojas especializadas em móveis usados e, até mesmo, instituições de caridade que recebem doações, restauram e vendem em baixíssimos preços. Nelas é possível encontrar verdadeiras relíquias capazes de dar um charme a mais à sua decoração.

4. Objetos de decoração

Os objetos de decoração, de um certo modo, são a parte mais divertida de mobiliar um apartamento. Já que nessa categoria de itens é possível lançar mão do DIY (Do It Yourself, ou faça você mesmo). Aqui estamos falando de quadros, almofadas, cortinas, lustres, abajures, vasos de plantas, porta-retratos e enfeites em geral.

Eles não são os itens mais importantes da sua lista em um primeiro momento, mas são eles que darão o toque de charme e a sensação de casa aconchegante que você certamente está buscando. Além disso, é muito fácil encontrar tutoriais na internet ensinando a fazer tais objetos com materiais reciclados, como caixas de papelão, paletes, caixotes, garrafas pet, entre outros. Isso vale para alguns tipos de móveis também.

Quanto custa mobiliar um apartamento novo?

Como vimos até aqui, existem necessidades mais básicas para um primeiro momento e outras que garantem uma vida mais confortável. Com planejamento é possível mobiliar um apartamento com tudo que se tem direito e mais alguma coisa.

Nesse contexto, podemos tomar como ponto de partida diversas faixas de valores que variam entre 5 e 20 mil reais, levando em consideração os itens mais comuns entre mobília e eletrodomésticos e a quantidade de cômodos do imóvel. E tendo em mente que, com o tempo e de acordo com o seu orçamento anual, novos itens serão adquiridos.

Por exemplo, mobiliar um apartamento de 1 quarto, sala, cozinha, banheiro e área de serviço é possível com 5 mil reais, deixando ele bem completinho. O segredo é se valer dos itens usados, que podem ser encontrados em sites como os que já citamos e, até mesmo, anunciados em grupos nas redes sociais.

Com um investimento inicial um pouco maior, em torno de 10 mil reais, já torna possível mobiliar o mesmo imóvel com a maioria dos itens novos, porém, ainda com um ou outro usado, principalmente os mais caros, como máquina de lavar, geladeira, condicionador de ar e televisão.

Passando para a faixa dos 20 mil já começa a se delinear um apartamento com tudo novinho, mesmo que ele seja um pouco maior, com dois quartos, por exemplo. Com esse valor já se torna possível até mesmo criar alguns espaços planejados com a ajuda de um profissional. É a quantia ideal para que você consiga mobiliar um apartamento bem completinho e bem decorado.

Agora, se você dispõe de mais de 20 mil, dá para montar o apartamento dos seus sonhos e é até aconselhável que você faça desse modo, pois assim você terá a qualidade de vida que deseja sem a necessidade de se privar de nada, ou precisar fazer novos investimentos ao longo do tempo. Dessa quantia para cima, você poderá contar até mesmo com um a ajuda de um bom arquiteto para planejar tudo para que dure mais tempo.

Vale lembrar que as opções mais em conta, com móveis e eletrodomésticos usados, com o tempo poderão ser substituídas ou melhoradas à medida que o seu orçamento permitir. Não é porque você comprou um sofá usado hoje que precisará ficar com ele pelo resto da vida, você poderá usá-lo somente pelo tempo suficiente para juntar o dinheiro e adquirir um novo do jeitinho que você sempre quis.

Com o passar do tempo, investindo de pouquinho em pouquinho, você também será capaz de mobiliar um apartamento como nos seus sonhos.

Como mobiliar meu apartamento sem gastar muito dinheiro?

A dica aqui é pechinchar. Para isso, frequente brechós, feiras de móveis usados, consulte os sites de classificados e grupos de vendas em redes sociais, procure por instituições de caridade que vendem móveis e eletrodomésticos de doação e dê uma olhada, até mesmo, na casa de parentes mais próximos em busca de coisas que não estão sendo usadas.

O DIY também é uma ótima opção para quem deseja mobiliar um apartamento gastando pouco, já que é possível fazer até móveis com materiais reciclados — e o melhor de tudo é que ficam um charme. A internet está repleta de tutoriais sobre o assunto, ensinando a fazer desde sofás e mesinhas de centro com paletes, até mesas de jantar com caixotes e sobras de madeira.

Como fazer um orçamento de compras para mobiliar o apartamento?

Na hora de fazer um orçamento para mobiliar um apartamento, diversos fatores importante devem ser levados em considerações, como os custos com frete e montagem dos móveis e a instalação de alguns eletrodomésticos que exigem recursos específicos, como um aparelho de ar-condicionado ou uma máquina de lavar.

Nesse contexto, o ideal é que se faça o orçamento das prestações de serviços em, ao menos, três prestadores diferentes. No caso de eletrodomésticos que serão comprados novos, a dica é a mesma: consulte ao menos três lojas e compare os preços.

No caso dos móveis, se você optar pelos usados, certamente encontrará boas oportunidades que dificilmente poderão ser comparadas a outras opções. Mesmo assim, compare o custo-benefício de peças que tenha a mesma utilidade, ainda que sejam diferentes.

Para que tudo isso dê certo, é preciso que você faça uma lista de tudo o que será necessário e anote nela todos os preços e condições de pagamento que encontrar para cada item. Antes de tomar uma decisão, avalie todas as suas anotações.

Outra dica que vale muito a pena, é fazer um planejamento para comprar algumas das coisas que podem esperar em datas como a Black Friday.

E sabe aquelas milhas do cartão de crédito ou da sua operadora de telefonia que, às vezes, você nem lembra que tem? Pois é, nessas horas elas são super úteis para comprar desde utensílios simples de cozinha até os eletrodomésticos mais importantes, de acordo com a quantidade de pontos que você tenha acumulado.

Quais erros eu devo evitar na hora de mobiliar meu apartamento?

Na hora de mobiliar um apartamento, principalmente com poucos recursos financeiros e pela primeira vez, é comum cometer uma série de erros tanto por inexperiência quanto por tentar economizar. Nos tópicos a seguir, você conhecerá os mais recorrentes e, desse modo, será capaz de se precaver contra eles. Confira!

1. Não considerar o imóvel como um todo

É natural, em especial quando se vai mobiliar um apartamento pela primeira vez, pensar em cada cômodo de modo isolado, esquecendo-se de que deve haver uma integração e complementação entre eles. Para que o resultado saia dentro do esperado, é necessário que haja uma harmonia entre cada um dos ambientes, como se conversassem entre si, tanto nas cores quanto no mobiliário e nos itens de decoração.

2. Tentar apressar demais o processo

“A pressa é inimiga da perfeição” é um ditado popular que deve ser levado em conta na hora de mobiliar um apartamento. Tentar queimar etapas para apressar o processo só levará ao desperdício de tempo e dinheiro.

Muitas vezes, comprar em uma loja cuja a entrega é mais demorada, vale mais a pena do que pagar por um carreto ou optar por uma loja na qual a qualidade dos móveis não é tão boa, mas que entrega mais rápido.

O mesmo vale para a etapa dos reparos que forem necessários no imóvel. É muito mais rápido, por exemplo, pintar um apartamento vazio do que com móveis e eletrodomésticos dentro dele. Além de não tomar o seu tempo para proteger esses itens contra os respingos de tinta, você evita danos que podem ser causados neles, mesmo que todos os cuidados tenham sido tomados.

Por isso, é imprescindível que se monte um cronograma prevendo todas as etapas do processo de mobiliar o apartamento e que não se inicie uma fase sem que a outra tenha sido concluída, salvo quando não forem conflitantes.

3. Projetar o espaço que você gostaria de ter e não o que você tem

Você sonhou com o seu novo apartamento por muito tempo, porém, a verba disponível ainda não deu exatamente para conquistar o espaço dos seus sonhos, embora a sua conquista já seja um excelente começo.

Nesse contexto, é comum que você imagine o espaço que gostaria de ter, mas na hora de mobiliar e decorar, acontecer de a sua imaginação não caber no espaço real. Portanto, planeje cada cômodo de acordo com a realidade do espaço e dos recursos que você tem disponíveis no momento. Com o tempo, você terá diversas oportunidades de moldar tudo ao modo que você imaginou.

4. Comprar tudo no mesmo lugar

Pode parecer mais prático, rápido e econômico comprar tudo em um só lugar, já que os descontos são maiores para as compras grandes. Porém, nem sempre esse abatimento compensa no final.

É possível que, buscando ofertas em diversos estabelecimentos diferentes, você consiga gastar bem menos, até porque nem tudo o que você precisa estará disponível no mesmo lugar, e isso poderá levar a mudanças desnecessárias no seu planejamento inicial.

Alguns tipos de substituições podem ser bem-vindas se trouxerem mais funcionalidades e benefícios no dia a dia. No entanto, se elas acontecem somente para simplificar a compra, podem se tornar motivo de arrependimento depois, levando a despesas extras.

5. Não levar em consideração que o barato pode sair caro

Por último, porém não menos importante, quando o objetivo é economizar na hora de mobiliar um apartamento, mais um ditado popular deve ser levado em conta: o barato sai caro.

A grande maioria dos itens que serão adquiridos deverão ter uma durabilidade mínima de médio prazo, e por isso, nem sempre comprar o mais barato se torna o mais indicado, já que o artigo precisará ser substituído antes do previsto.

O segredo nesse momento é gastar de acordo com a durabilidade esperada. Por exemplo, se você pretende comprar pufs e almofadas para decorar a sala provisoriamente até que se tenha recursos para comprar o sofá dos seus sonhos, você pode adquirir os mais baratos, já que eles serão trocados em um futuro mais próximo.

Já no caso de uma geladeira ou máquina de lavar, que se espera mais durabilidade, convém gastar um pouco mais e comprar aquela mais próxima da dos seus sonhos, pois terá que conviver com ela por muito mais tempo.

Conclusão

Ao longo deste guia completo para mobiliar um apartamento gastando pouco, você viu que é muito mais fácil do que se imagina montar o cantinho dos seus sonhos, mesmo com poucos recursos financeiros.

Para isso, basta que se tenha em mente quais são os itens que não podem faltar na sua lista, que se tenha uma ideia de quanto custam e se saiba como fazer um bom orçamento para tornar possível o seu planejamento. Ainda, é preciso estar atento aos erros que devem ser evitados a todo custo para que você não tenha que refazer algumas coisas — ou conviver com itens dos quais se arrependeu de ter comprado.

 

Fonte: Como Comprar um Apartamento

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários estão encerrados.