Aprenda a fazer cestos organizadores muito práticos
24 de fevereiro de 2016
Apartamento pequeno colorido tem espaço até para bike
29 de abril de 2016

Inspire-se em jardins de projetos comerciais cheios de boas ideias

Bosque no meio da cidade, bancos para apreciar a vista, fonte e painel vertical são algumas das ideias que roubamos de três projetos comerciais e que podem ser facilmente implantadas em casas com espaço reduzido ou de sobra. Veja qual é seu caso e inspire-se!

F01

Praça do café | Barbas-de-serpente, curculigos, dracenas arbóreas, dianelas, íris, mirindibas, moreias e helicônias dão um clima de floresta ao espaço criado sobre uma laje do prédio. Os bancos foram desenhados pelos paisagistas e executados pela Nova Era Marcenaria (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

Floresta Urbana

Para aflorar a criatividade de seus funcionários, a agência de publicidade F.biz contratou os paisagistas João Fausto Maule e Bel Zaidan, da Passear Verde, que criou áreas com plantas nos 11 pavimentos da empresa. Nas varandas e terraços, caixas de fibra de vidro pintadas no tom da agência acomodam pitangueiras, embaúbas, filodendros e dracenas arbóreas. Já na praça ao lado do restaurante fica o ponto alto do projeto: um espaço de convivência recheado de plantas tropicais. “A ideia era incentivar as pessoas a curtir o jardim. Desenhamos um caminho com seixos negros, acrescentamos alguns bancos soltos e preenchemos o espaço com espécies nativas da região, como os curculigos e as mirindibas”, conta Fausto.

 

F02

Varanda | No terceiro andar, caixas de fibra de vidro da Glóris Vasos, com filodendros deixam o espaço mais aconchegante. Todos os vasos receberam pontos de irrigação automática (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

F03

Terraço | Os bancos encaixados entre caixas de fibra de vidro com pitangueira e embaúba são um convite para fazer uma pausa no meio do expediente. No andar de cima, dracenas arbóreas (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

F04

Jardim de entrada | Rente ao muro, em primeiro plano, camélias em renque. À esq., antúrios, moreias, espadas-de-são-jorge e jasmins-do-imperador que alcançam o segundo andar (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

Espaço de Paz

Quem passa pelos portões desta casa logo esquece que ela está a poucos metros da Avenida 23 de Maio, uma das vias mais movimentadas de São Paulo. O aroma das flores, o degradê das folhagens e as diferentes texturas encantam quem frequenta a Casa do Ser, comandada pela terapeuta holística Catia Mellão. “Não havia nada no terreno. Como sempre gostei de plantas, fiz várias visitas à Ceagesp até o jardim ficar como eu queria”, conta. Logo na entrada, maciços de antúrios, moreias e espadas-de-são-jorge se misturam a vasos com ametistas e ervas. No corredor lateral, alpínias, gardênias, lavandas e rosas estão reunidas em vasos de barro.

 

F05

Edícula | Fechada por painéis deslizantes de vidro, a sala dos fundos tem vista para o jardim com rosas, alpínias, gardênias e marias-sem-vergonha reunidas em vasos (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

F06

Garagem | No lugar de carros, duas espreguiçadeiras para relaxar e curtir o jardim. Os seixos, também comprados na Ceagesp, dão uma bela textura ao espaço (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

F07

Jardim | A bordadura de suculentas divide a área: do lado esq., patas-de-elefante com pedriscos; do lado dir., bambus-negros com pedras malucas, da Palimanan e painel de aço com tela metálica e vasos com columeias. Fonte da Anni Verdi. Banco executado pela Tableria das Madeiras (Foto: Edu Castello/Editora Globo)

Perfume de Oriente

Para contrabalancear a rotina de trabalho sempre pesada, este escritório de advocacia queria um espaço zen, que passasse tranquilidade. Graças à paisagista Drica Diogo, a área em L, subaproveitada, ganhou uma fonte de cobre, um jardim vertical e exemplares de pata-de-elefante e bambu-negro. “Apesar de contar com o elemento da água, a textura das pedras e a leveza do bambu, o espaço não é totalmente oriental. Quis dar um toque tropical e contemporâneo com a bordadura de suculentas”, conta. A mureta, que apontava o desnível do terreno, foi transformada em banco com réguas de cumaru frisado.

 

Fonte: Casa e Jardim

 

Comentários

Os comentários estão encerrados.

× Como podemos te ajudar?